20ª edição do Festival Edésio Santos da Canção chega ao fim

20ª edição do Festival Edésio Santos da Canção chega ao fim
O evento homenageou os 80 anos do juazeirense Luiz Galvão, poeta, compositor e integrante dos Novos Baianos. adicionada no dia 04/12/2017 12:55h

Neste sábado (2) foi encerrado a 20ª edição do Festival Edésio Santos da Canção. O Festival é um concurso de composições inéditas voltado a todos os gêneros da música popular brasileira.

No total, 24 canções inéditas foram apresentadas este ano. O evento homenageou os 80 anos do juazeirense Luiz Galvão, poeta, compositor e integrante dos Novos Baianos.


Este ano, o festival também homenageou pessoas que tiveram influência na cena musical de Juazeiro, dando seus nomes aos troféus. O primeiro lugar levou o Troféu Luiz Galvão, 80 Anos de Poesia e Música. Segundo lugar, recebeu o Troféu Moanilton Mesquita Lopes. E o terceiro lugar, o Sargento Bispo.

Para o Músico, Sociólogo e Antropólogo Paulo Soares, a realização do Festival Edésio Santos é uma forma de manter viva a essência musical da cidade. "Há o fortalecimento dessa cultura e isso é muito importante. Além disso, faz com que haja uma interação social, as pessoas se encontram, conhecem outros sons, outros estilos musicais. E o poder público tem mesmo obrigação de fomentar esse tipo de política pública, que oportuniza momentos como o do Festival Edésio Santos da Canção", disse.

A premiação de R$10 mil ficou com o vencedor, R$ 8 mil ao segundo e R$6 mil ao terceiro lugar. Melhor intérprete levou R$ 3 mil, melhor música local ficou com R$ 4 mil e a escolha do Júri Popular levou R$ 1 mil. 

 

Classificação:

1º lugar: O Brasil dos Invisíveis, de Zebeto Correa;

2º lugar: Cada um, de Manuca Almeida e Alexandre Leão;

3º lugar: Quintal, de Moésio Belfort/Eneida Trindade;

Melhor música: local Perfume do passado, de João Gilberto e Mariano;

Melhor Intérprete: Andreza Santos;

Júri Popular: Juazeiranidade, de Fatel.

Topo